Enterprise Resource Planning Blogs by Members
Gain new perspectives and knowledge about enterprise resource planning in blog posts from community members. Share your own comments and ERP insights today!
cancel
Showing results for 
Search instead for 
Did you mean: 
former_member330246
Active Contributor
Para facilitar o entendimento deste blog, procure a definição de transformação digital no Google e leia assombrosos zilhares de diferentes definições que farão o entendimento ficar muito pior do que estava antes da busca. E depois tente misturar S/4 Hana com Transformação Digital e pronto, azedou todo o entendimento.

A dificuldade de falar e definir transformação digital passa pelo ponto em que não se conceitua um fim, assim como aconteceu com diversas outras buzzwords que explodiram no mundo corporativo. E foram várias (aliás, quando precisamos dar uma chacoalhada na rotina chega outra palavra da moda e acaba com a paz reinante).

A transformação digital trata um meio, que sustentada sobre novas formas de pensamento e criação, processos enxutos, digitalização, machine learning, soluções analíticas e preditivas, impressoras 3D e blockchain permitirá não apenas a criação de novos modelos de negócios, mas também novas formas de operar os modelos de negócio existentes. Obviamente que o mundo seguirá necessitando das indústrias seculares de extração e transformação, mas operadas de forma diferente.

Assumindo todas as buzzwords como ferramentas que isoladas já são poderosas, se somarmos e empacotarmos em novos processos criativos e construtivos... pronto, nasce uma enormidade de possibilidades que sem dúvida deixa animado o mais cético dos mortais. Salvo a viagem espacial e teletransporte, chegamos na dimensão do SCI-FI.

Saindo da outra dimensão e voltando para o dia a dia corporativo, quando se analisa em detalhes as ferramentas e possibilidades percebe-se que há 10 anos o desafio era a integração, mobilidade, padronização de processos, e outros temas que geralmente tinham nas plataformas de TI a grande limitação. Não funcionava como se esperava porque a plataforma não permitia. E agora este problema está resolvido (ou bem encaminhado) com toda a plataforma S/4 + SAP Leonardo + Hana + Soluções Analíticas... and so go on.

O problema é outro e muito mais desafiador. Com todas as ferramentas disponíveis faltam as boas idéias e propostas para aglutinar e identificar as possibilidades de inovação. Essa sim é a palavra chave que justifica todo o investimento em tempo e dinheiro: I.N.O.V.A.Ç.Ã.O.

Fazer funcionar nós já sabemos, mas como enxergar as oportunidades de criar e inovar? Como buscar a inovação, aportando criatividade em um universo que construímos sempre tão distante de qualquer tarefa não cartesiana? Design Thinking é o nome de um método que pode nos ajudar a aglutinar e de fato utilizar todas as outras ferramentas. Só assim as palavras da moda começam a fazer sentido.

Abaixo alguns links sobre design thinking. Tem muitos outros, mas se os abaixo não despertar o interesse não justifica ler os outros.

Pule 10 anos para frente. Se hoje já é latente a complexidade de se criar funcionalidades e trazer a transformação digital que o consumidor (nós) espera, imagine quando o processamento quântico estiver disponível, inteligência artificial sair da idade das pedras, e tecnologia neuromorfica for realidade... Agora avance um pouco mais: se não houver uma manipulação proveitosa de toda essa tecnologia, e se não incluir processos criativos e inovadores, talvez sequer saibamos o que fazer com tudo isso.

E voltando para o dia a dia...

... sigo ouvindo a pergunta de porque justifica ao negócio migrar para o S/4. Concordo que o Fiori é bacaninha e facilita muito a vida do usuário, mas tem muita coisa além do Fiori para ser considerado e explorado. Só precisa enxergar além do trivial.
3 Comments
Labels in this area